Banner image

Segurança em computadores: mecanismos e ameaças da cibersegurança

18 de maio de 2020
Por Felix Schultz

Segurança em computadores é a proteção de sistemas contra invasões, roubos ou manipulação de informações, e danos a softwares ou hardwares.

Um dos maiores desafios da atualidade, por causa do crescente aumento de dispositivos inteligentes e conexões em rede, a segurança em computadores é fundamental para garantir a proteção de dados estratégicos de uma empresa.

Leia também: Como garantir a segurança da informação no seu negócio.

Para se prevenir de ameaças digitais, a empresa deve contar com um time de profissionais capaz de testar, antecipar e identificar com agilidade as vulnerabilidades de um sistema.

Neste artigo, você vai entender:

  • Segurança em computadores: o que é
  • Ameaças à segurança em computadores
  • Por que a segurança em computadores é importante
  • Como garantir a segurança em computadores
  • 10 fatos sobre a segurança em computadores
  • Conheça a plataforma Milvus

 

Boa leitura!
desempenho help desk

Segurança em computadores: o que é

A segurança em computadores reduz as ameaças digitais.

 

A segurança em computadores é também chamada de cibersegurança. Ela protege equipamentos e sistemas contra invasores, evitando o roubo, danificação e manipulação de arquivos ou dispositivos. 

Um campo profissional em constante crescimento dentro da área da Tecnologia da Informação, a segurança em computadores é fundamental para garantir a integridade, confidencialidade e disponibilidade das informações estratégicas e privadas de uma empresa

Ameaças à segurança em computadores

A segurança em computador sofre ameaças constantes a partir de diversas fontes, como: 

  • Um e-mail com link malicioso;
  • Um software desatualizado;
  • Um aplicativo pirata;
  • Um site suspeito; 
  • Uma mídia removível (como pendrive) infectada;
  • Entre outros.

 

Os malwares, programas maliciosos que invadem o computador, podem afetar arquivos, programas e até mesmo o dispositivo em si.

Dessa forma, a empresa perde informações importantes e estratégicas para o negócio, além de ficar impedida de seguir sua atividade, caso ela dependa dessas ferramentas. 

Contar com profissionais voltados para a segurança em computadores é fundamental para minimizar as vulnerabilidades da empresa, reduzindo os efeitos de possíveis invasões. 

Imagina ter seus projetos, informações financeiras e planos estratégicos roubados por um invasor? Imagina ter seus computadores invadidos de forma que se tornem sucatas? 

Além do prejuízo financeiro, a vantagem competitiva, o diferencial e a credibilidade da empresa são colocadas à prova, podendo impactar ainda mais na economia do negócio.

Por que a segurança em computadores é importante

Como já mencionamos, a segurança em computadores é uma medida que previne contra invasões e ameaças digitais, reduzindo os impactos negativos no negócio. 

Sem essa consciência, você deixa vulnerável o trabalho de uma vida toda: seus projetos, suas estratégias, seus diferenciais — sem falar, claro, nas informações pessoais e comunicação de sua equipe. 

Em um descuido, você pode ter dados de clientes e fornecedores roubados, trocas de mensagens e outras informações delicadas. 

Além de ser péssimo para a imagem da empresa, o gestor vai precisar encarar as consequências da LGPD, a Lei brasileira de Proteção de Dados, com aplicação prevista a partir de 2020.

Leia também: LGPD: como implementar a lei geral de proteção de dados na sua empresa.

Como garantir a segurança em computadores

A empresa deve definir responsáveis e políticas específicas para a segurança em computadores.

 

Para implementar a segurança em computadores na sua empresa, você precisa de 3 atores principais: os responsáveis por essa gestão, os mecanismos que serão utilizados no trabalho e as políticas que deverão ser escritas e compartilhadas com todos.

Com isso, você pode criar um processo eficaz e eficiente no combate às ameaças. Vamos esclarecer cada ponto. 

Responsáveis

Se você conta com um departamento interno de TI, é preciso designar funções para cada profissional. 

Isso porque a TI abrange inúmeras atividades: desenvolvimento de softwares, infraestrutura, suporte a usuários, redes, segurança, entre outros. 

Conte com profissionais voltados especificamente para a segurança em computadores para garantir a manutenção e atenção devidas a esse tema. 

Mecanismos

O profissional especialista em segurança poderá escolher e implementar os mecanismos necessários para a realidade da empresa, de acordo com o cenário atual, necessidades e modelos de trabalho.

Por exemplo, em uma empresa que tenha funcionários trabalhando home office, o analista de segurança em computadores deve prever uma rede VPN para acesso seguro. 

Outros mecanismos que fazem parte do trabalho é a instalação de antivírus, uma política de senhas seguras, dupla verificação, certificado digital, entre outros.

Políticas

Uma vez tendo definido os mecanismos de segurança da empresa, o responsável deve elaborar políticas claras e efetivas.

As políticas de segurança em computadores devem ser compartilhadas entre outros, de forma que cada usuário compreenda o seu papel na eliminação ou redução das ameaças digitais. 

Afinal, não adianta investir em sistemas e profissionais capacitados no setor da TI e os usuários continuarem instalando programas falsificados ou clicando em anexos de e-mails suspeitos, certo? 

10 fatos sobre a segurança em computadores

A segurança em computadores depende, principalmente, da responsabilidade do usuário.

 

Como você já entendeu, a segurança em computadores envolve uma série de medidas e metodologias que visam proteger a confidencialidade, integridade e disponibilidade de arquivos, informações, sistemas e equipamentos. 

Porém, de nada servem métodos e ferramentas se o usuário não abraçar a sua própria responsabilidade em torno da segurança. 

Por isso, listamos, abaixo, 10 fatos que envolvem desde aspectos técnicos e rotineiros, até questões que estão diretamente ligadas ao comportamento do usuário. 

Cabe a cada um entender suas obrigações e deveres para que as vulnerabilidades se tornem menos ameaçadoras.

1 Solicite a troca periódica das senhas cadastradas

Um relatório da Verizon, holding americana especializada em telecomunicações, mostra que cerca de 80% das brechas de segurança dos dados empresariais se deve à fraqueza das senhas dos usuários. 

Essa pesquisa reforça a importância do uso de padrões mais complexos para garantir uma melhor proteção. No entanto, somente o uso de uma senha mais forte não é o suficiente.

Um dos grandes problemas nas empresas é o compartilhamento indevido de senhas entre funcionários. Não parece nada demais, afinal, você compartilha a senha com um colega em um momento de necessidade. 

Mas você passa a não ter controle sobre sua segurança e privacidade.

Por isso, a empresa deve implementar em sua estratégia a solicitação periódica de alteração da senha, como uma rotina para todos os usuários. 

Dessa forma, cada usuário mantém o hábito de atualizar sua chave de acesso, limpando um possível rastro que permita a entrada de desconhecidos.

Na política de segurança da empresa você pode, também, estabelecer algumas exigências, impedindo o cadastro de senhas com menos de 3 dígitos ou informações de fácil acesso, como nome do usuário e data de nascimento.

#2 Dispositivos novos não garantem a segurança em computadores

Não é porque você comprou um computador novo em folha ou um smartphone de última geração que ele não tenha vulnerabilidades de segurança. 

Pelo contrário, aliás: com o tempo, as empresas vão lançando atualizações para corrigir as falhas que forem sendo encontradas ou identificadas com o uso. Então, um equipamento novo ainda é um mapa a ser desvendado. E não tenha dúvidas: alguém vai.

#3 Todos os softwares possuem falhas de segurança

Sim, todos. Por isso, é fundamental que você faça uma manutenção adequada, deixando as atualizações sempre em dia.

E claro, jamais instalar programas piratas ou suspeitos. Sistemas de código aberto também são mais vulneráveis, já que ficam expostos a invasores. 

O ideal é que o profissional de TI responsável pela segurança em computadores avalie todos os softwares a serem utilizados pela empresa, instalando, gerenciando e definindo permissões de acordo com o tipo de usuário.

#4 HTTPs deveria ser obrigatório

HTTPs é um protocolo de segurança que deve ser instalado no servidor, de forma a proteger o site. 

Um site sem HTTPs, além de mais vulnerável ao usuário, também sobre penalizações em performance: se você pretende ser encontrado em buscas no Google, deve investir nesse mecanismo de segurança. 

#5 A nuvem traz novos problemas de segurança que você não imaginava

Mas isso não significa que não seja, ainda, uma boa alternativa para backups. Serviços de armazenamento em nuvem são mais complexos do que um HD externo, por exemplo. Por esse motivo, são menos vulneráveis.

#6 A atualização de softwares é fundamental

Já falamos sobre isso mas nunca é demais repetir: manter seus sistemas e aplicações atualizados ajuda a minimizar as ameaças. 

Isso porque, a cada nova atualização, as vulnerabilidades até então encontradas vão sendo corrigidas. 

Uma gestão de ativos pode auxiliar nessa manutenção. O profissional consegue, assim, acompanhar o status de cada equipamento ou aplicação, corrigindo e atualizando o que for necessário no prazo correto.

#7 Nem todo hacker é “do mal”

Quando falamos em “hacker”, o usuário já treme. Mas para encontrar as vulnerabilidades de um sistema, hacker “do bem” são essenciais.

Pessoas com essa habilidade podem encontrar as ameaças de um dispositivo ou sistema antes que um invasor de verdade se aproveite da falha. São eles os responsáveis por localizar e corrigir as vulnerabilidades — e as correções virão em forma de atualizações, lembra?

#8 Ciberterrorismo não é acontece todo dia

É verdade que os casos de ciberterrorismo e ciberataques relevantes são aqueles divulgados pela mídia. Mas, ainda assim, eles são minoria.

Os ataques mais comuns são os mais simples, por isso é tão importante que você tome precauções básicas, como uma senha segura.

#9 Darknet e Deepweb são ambientes diferentes

Se você já ouviu falar nesses termos, pode achar que se referem à mesma coisa. Mas são diferentes e cada um oferece ameaças variadas.

Darknet é um ambiente fora do world wide web (www), sendo acessado por softwares separados. É aqui que acontecem sequestros de informação e outros crimes virtuais.

Deepweb, porém, está dentro da world wide web, mas não pode ser encontrada através de buscadores (como o Google). 

#10 Sistemas auxiliam o time de TI na segurança em computadores

Um sistema de automação das atividades de rotina do time de TI pode auxiliar o profissional a ter um melhor controle na segurança de seus computadores. 

Aumentando a eficiência das tarefas cotidianas e melhorando a comunicação entre usuários e TI, o profissional pode se dedicar a testes e estratégias que reduzam as ameaças para sua empresa.

Leia também: Como escolher o melhor Software de Gestão de TI.

Conheça a plataforma Milvus

A plataforma Milvus possibilita otimizar a gestão das ações de sua equipe de TI, resultando em ganhos de eficiência e aumento de produtividade da equipe, sem precisar ampliar o time com novos profissionais.

O sistema oferece diversos canais de comunicação, facilitando a gestão e controle dos chamados de suporte. 

Assim, o usuário pode informar à TI em caso de suspeita de alguma invasão, para que a identificação do malware e a eliminação da ameaça seja feita com agilidade.

A plataforma é aplicável tanto nas empresas que contam com departamento de TI próprio, quanto por empresas de outsourcing que desejam unificar a gestão de diferentes clientes em um único sistema.

Presente no Brasil, Uruguai, México, Chile, Peru e Argentina, a plataforma Milvus já atendeu mais de 23 mil empresas e registra quase 20 mil chamados atendidos, concluídos através do gerenciamento via sistema.

Faça um teste gratuito de todas as funcionalidades e saiba como Milvus pode ajudar na segurança em seus computadores!

Conclusão

Um sistema para controle dos ativos é o primeiro passo para a segurança em computadores.

A segurança em computadores é uma área da Tecnologia da Informação que vem ganhando relevância. Isso porque, assim como aumentam os dispositivos e formas de conexão, aumentam as ameaças e vulnerabilidades digitais

Dessa forma, a empresa deve tomar medidas necessárias para evitar ter suas informações e arquivos estratégicos expostos a invasores e programas maliciosos. 

Uma gestão de ativos eficaz é um primeiro passo para esse controle. Conte com um sistema que automatiza e facilita a rotina de sua TI, deixando os profissionais focados nas atividades que têm mais valor para sua empresa, como a segurança em computadores. 

Conheça a plataforma Milvus, faça um teste gratuito ou solicite uma demonstração!

Para outras dicas, confira os artigos que recomendamos para você:

Gostou deste conteúdo? Então, compartilhe com seus colegas e reforce a importância que a segurança em computadores tem nas vidas das pessoas e empresas.