Qual é a importância do inventário de rede?

O setor de TI lida com uma série de equipamentos cuja eficiência impacta diretamente na saúde financeira dos negócios. É preciso gerenciar não só os próprios computadores, mas a infraestrutura digital de toda a empresa. Por isso, é fundamental implementar estratégias que otimizem os processos de gestão.

O inventário de rede é uma ferramenta desenvolvida especificamente para esse fim. Entretanto, muita gente ainda tem dúvidas sobre seu funcionamento, as vantagens e como ele pode ser implementado.

Não se preocupe! Mostraremos aqui no post tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Confira!

O que é o inventário de rede?

A gestão dos ativos de uma empresa não é apenas um trabalho administrativo de monitoramento. Os profissionais de TI lidam com uma série de ferramentas (físicas ou digitais) que precisam de atenção. Do contrário, a dinâmica geral da empresa pode ser comprometida.

Se for necessário, por exemplo, uma migração de servidor, é extremamente complicado executá-la sem visão clara do ambiente com o qual estamos lidando. O mesmo se aplica aos equipamentos em geral. Qualquer ação da equipe de TI se torna limitada e arriscada sem as informações exatas de quais os itens, onde estão localizados etc.

O inventário de rede foi criado com o intuito de resolver essa questão. Assim como outros inventários, ele mantém registro de diversos itens que pertencem, no caso, à empresa. Entretanto, o inventário de rede tem uma particularidade.

Como mencionamos, a TI lida com ferramentas físicas e digitais. O inventário de rede abrange não só os equipamentos físicos (hardwares), mas também as soluções digitais (softwares) utilizadas na empresa.

Afinal, programas também são produtos — eles estão ligados a um custo de investimento, precisam de manutenção e podem ter até data de validade ou licença a ser renovada. Se lidar com essas questões sem ter controle eficiente já é um problema para pequenas empresas, imagine para uma prestadora de serviço de TI!

Além dos próprios equipamentos, é preciso estar atento à infraestrutura de TI dos clientes. A resolução de qualquer problema se torna muito mais ágil se seus profissionais têm acesso imediato a um documento que indica tudo aquilo que o cliente possui — servidores, computadores, dispositivos móveis, switches, roteadores e até mesmo cabos.

O inventário de rede lista cada um desses itens e os relaciona às suas informações técnicas de forma detalhada.

Por que o inventário de rede é essencial?

O setor de TI assume papel cada vez mais importante no funcionamento das empresas. Otimizar seu funcionamento é agilizar o trabalho de todos, individual e coletivamente. Por isso, o inventário de rede proporciona o controle necessário sobre os ativos tecnológicos disponíveis.

Em primeiro lugar, ele permite o rastreamento mais rápido dos dispositivos. Em geral, esse trabalho pode consumir muito tempo — empresas que não adotam inventário de rede podem até perder equipamentos e não ser capazes de recuperá-los por falta de um registro adequado.

Em vez de colocar um funcionário para localizar hardwares e softwares toda vez que uma ação for necessária, basta ter um registro unificado de todos os equipamentos. Consequentemente, a localização também é facilitada.

O inventário, mais do que uma simples lista de ativos, deve detalhar em que setor o equipamento é utilizado, quem é o usuário direto e até mesmo a localização física. Ao registrar hardwares de um grande servidor, por exemplo, é interessante especificar em qual gabinete e prateleira eles estão.

Vale destacar a confiabilidade que o inventário oferece para as informações cadastradas. Se diversos notebooks são comprados ao longo de alguns anos, por exemplo, é crucial registrar as datas de compra de cada um, identificando-os por meio de um código serial.

Isso faz com que a equipe de TI tenha mais facilidade para monitorar a degradação dos equipamentos, assim como rastrear softwares (e licenças) utilizados por cada funcionário. O próprio trabalho do gestor é otimizado, pois ele é capaz de extrair relatórios baseados no inventário para prospectar a compra de novos itens.

Sabemos, por exemplo, que a capacidade de processamento dos computadores dobra a cada dois anos. Assim, setores que precisam de hardwares com alto desempenho exigem a renovação periódica de seus dispositivos.

Basta que o gestor crie um cronograma e fique atento aos registros para substituir os equipamentos mais antigos ou comprar novos cartuchos de memória RAM.

Como implementá-lo em minha empresa?

Para começar, é importante ter em mente algumas perguntas que facilitam a elaboração do inventário de rede. Afinal, o registro deve ser detalhado ao máximo, evitando que informações relevantes faltem no momento em que você mais precisa delas.

Assim, é preciso levantar respostas para as seguintes questões:

  • Quantos computadores sua empresa (ou o cliente) tem?
  • Qual é o número de notebooks?
  • Qual é o número de desktops?
  • Qual é o sistema operacional (SO) de cada um deles?
  • Qual é a versão desse SO?
  • Quais softwares estão instalados neles, incluindo antivírus?
  • Qual é o tamanho do HD e da memória RAM?
  • Qual é o processador?
  • Quais hosts (switches, servidores, impressoras e demais terminais) sua rede possui?

Essa lista pode ser ainda maior. Como você pode ver, é fundamental que ela inclua não só os equipamentos (computadores), mas as peças que constituem sua configuração (memória RAM, processador, HD etc.).

Quanto à metodologia para gestão dessas informações, não há planilha que resolva os seus problemas. É crucial ter em mente que um software desenvolvido especificamente para essa finalidade é o alicerce de um inventário de rede eficiente.

Ferramentas como a da Milvus garantem a agilidade que você precisa para acessar os dados, assim como a segurança e disponibilidade que eles exigem. Afinal, não há motivo para desenvolver pessoalmente um sistema de gestão frágil se existem instrumentos extremamente eficazes para solucionar esse problema.

Seguindo uma grande tendência trazida pela nova era da transformação digital, o software da Milvus integra completamente o inventário de rede a um sistema de Help Desk. Assim, mesmo durante um atendimento ao cliente, é possível localizar rapidamente um item e consultar as informações ligadas a ele.

Por isso, não deixe de implementar um inventário de rede na sua empresa agora mesmo. Os benefícios são muitos e não se limitam apenas à equipe de TI!

Quer conhecer de perto um software para gestão de inventário de rede? Então, entre em contato com a Milvus e fale com quem mais entende do assunto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *