Governança em TI: aprenda a gerir processos de forma mais eficaz

Para se garantir no mercado e melhorar os processos, as empresas têm buscado cada vez mais a governança em TI para gerir, controlar e garantir a qualidade de todos os seus processos e atividades.

O grande desafio atualmente é transformar os processos em engrenagens sincronizadas a ponto de demonstrar que o setor de TI não é apenas uma área na empresa de suporte e sim parte fundamental da estratégia da organização.

Para ter resultados significativos que realmente valham o investimento, é importante avaliar o processo de governança em TI. A análise deve enfocar temas e processos que fortaleçam a conexão da TI ao negócio da organização, como planejamento, envolvimento da alta administração, gestão de riscos e de resultados.

Pensando nisso, separamos os conceitos e formas de colocar a governança em TI em prática! Saiba mais lendo o nosso post!

O que é governança em TI?

A governança em TI é parte integral e grande aliada da estratégia corporativa, com papel de destaque na elaboração das metas e na definição dos objetivos das empresas.

De uma forma geral, é uma estratégia voltada para empresas com o objetivo de alinhar as suas políticas de segurança digital, privacidade e manutenção de ativos virtuais com as suas abordagens de mercado.

Há uma associação estruturada de diretrizes, responsabilidades, competências e habilidades, definidas dentro das empresas por líderes e usuários de TI, com o objetivo de controlar efetivamente os processos, promover uma otimização da aplicação de recursos e oferecer condições para a tomada de decisões, tudo isso de forma alinhada com a visão, missão e metas estratégicas das empresas.

As ações inicialmente são definidas de acordo com as diretrizes e objetivos da empresa. Na governança em TI é desenvolvido e aplicado um conjunto de práticas estruturadas que otimizam a atuação do setor para servir aos propósitos da organização.

Para que isso seja possível, as rotinas são criadas pelo departamento de TI com o foco na qualidade operacional. Em consequência, isso auxilia os funcionários a utilizarem sistemas mais confiáveis, com maior performance e menos vulnerabilidades de segurança.

Os gestores de TI alinham as políticas com as expectativas dos gestores de outros setores. Assim, o departamento poderá transformar os ativos digitais da empresa em uma ferramenta essencial para que todos os usuários possam melhorar sua produtividade e, como consequência, ampliar a competitividade.

Essa definição deixa claro que a governança em TI não é apenas uma área de suporte ao processo de negócio, mas sim fundamental ao planejamento estratégico das grandes empresas.

Como a governança em TI influencia na gestão dos processos?

As empresas, sejam grandes, pequenas, públicas ou privadas, devem assegurar que os seus sistemas digitais e equipamentos de TI ajudem na busca por objetivos de mercado mais eficazes e inovadores. Conforme o nível tecnológico dos processos operacionais das empresas aumenta, as políticas de governança em TI são mais necessárias.

A gestão de TI assegura que a empresa atinja padrões elevados de qualidade, confiabilidade e segurança. O TI passa a ser visto como um setor estratégico, que potencializa a busca por novos mercados e aumenta a competitividade do negócio. Ao implantar uma política de governança eficaz, a empresa pode fornecer serviços e produtos de maior qualidade para o mercado.

Como colocar em prática?

Como vimos, a governança em TI é um conjunto de práticas, metodologias, métodos e processos com o objetivo de garantir ampliar o desempenho, minimizar riscos, orientar as decisões, otimizar a aplicação de recursos, apoiar o crescimento acelerado e também a transformação do negócio.

Vale ressaltar que não há uma regra do que pode ou não ser feito. Tudo deve ser pensando e elaborado conforme o tipo de negócio. Pensando nisso, separamos algumas dicas importantes ao se pensar em definir uma governança que apoie e suporte a empresa e não que a trave com processos burocráticos.

Defina Acordos de Nível de Serviço (SLA)

O acordo de nível de serviço, em inglês Service Level Agreement, é um importante instrumento de governança em TI para estabelecer prazos para solução de paradas em hardware, ocorrências de bugs em softwares ou outras interrupções que comprometam o funcionamento do negócio.

O SLA deve ser estabelecido de forma racional, para que não burocratize os atendimentos de TI. Pode ser incrementado em períodos, a partir das melhorias processuais que forem sendo implementadas com a governança em TI.

Volte seu olhar para estratégia empresarial

Geralmente, as estratégias do negócio são estabelecidas pelos líderes em conjunto com outros stakeholders, respeitando a cultura corporativa.

Para que a TI possa gerar resultados satisfatórios, suas práticas de governança devem promover o seu alinhamento a essas estratégias e valorizar a cultura e missão da empresa.

Analise a necessidade de todos os usuários

Os usuários são todas as partes participantes do negócio, desde colaboradores, acionistas, clientes, fornecedores, governo, dentre outros.

Os recursos de informática devem promover o atendimento às necessidades de cada um desses grupos, conforme diretrizes de governança em TI.

Escolha a estrutura adequada

Deve ser escolhida uma estrutura de controle e monitoramento de serviços de TI, que estabeleça as melhores práticas para garantir que a TI gere resultados alinhados com a estratégia do negócio.

Mensure o desempenho

A definição de métricas de desempenho é essencial para visualizar se a estratégia de TI está adequada ao objetivo do negócio. Com a governança em TI, deve-se estruturar uma metodologia de medição de indicadores chave de desempenho.

Com a definição das métricas, a equipe de TI pode tornar possível a criação de soluções tecnológicas, facilitando o processo decisório na organização.

Devem existir métricas específicas de desempenho dos sistemas/aplicativos, dos equipamentos, dos serviços de TI, para que seja possível atuar no crescimento da produtividade.

Mantenha a conformidade legal

As soluções tecnológicas devem promover o cumprimento de todos os requisitos legais aplicáveis ao tipo de negócio, de forma transparente para o usuário.

No Brasil, a lei sofre atualizações e mudanças de forma constante e está cada vez mais caminhando para processos automatizados, que necessitam estar em sincronia no ambiente das empresas, para evitar multas e autuações por órgãos de fiscalização.

A governança em TI deve proporcionar o monitoramento da conformidade legal, trazendo tranquilidade e segurança aos gestores do negócio.

E aí, o que achou do nosso conteúdo sobre governança em TI? Assine nossa newsletter e fique por dentro das novidades! Você receberá tudo diretamente em seu e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *