Ferramentas open source para TI: otimização para o trabalho

O termo open source é de origem inglesa e significa código aberto. Grosso modo, trata-se da linguagem de programação de um software, criada sem ser relacionada diretamente a uma licença fechada. Isso significa que o código-fonte pode ser adaptado para diversos fins, de acordo com a necessidade de quem o utiliza.

Criado para finalidades técnicas específicas, ele acabou se tornando muito popular. Hoje, as ferramentas open source para TI representam uma verdadeira estratégia de negócios, pois permite inovação e retorno financeiro com baixo custo.

Pensando nisso, mostraremos aqui os principais benefícios da utilização de softwares open source. Confira!

1. Apoio ao desenvolvimento de novos produtos

A área de desenvolvimento de software é uma das que mais se beneficiam do uso de ferramentas open source. Afinal, foi nela que surgiram as primeiras soluções de código aberto. Ainda que a variedade de opções tenham aumentado exponencialmente, o desenvolvimento continua sendo quem mais tira proveito dessa ferramenta.

E não é para menos. Para cada etapa do processo (análise, projeto, implementação, implantação e manutenção), há uma gama enorme de ferramentas para otimização do tempo e dos recursos. Até mesmo a gestão de TI tira vantagem disso.

Softwares como o Gantt Project oferecem interface que dá mais controle sobre os processos em andamento. Com recursos gráficos — e, em alguns casos, suporte multiplataforma —, esse tipo de ferramenta é ideal para quem não foca em um único sistema operacional.

Outras soluções open source auxiliam também na modelagem, no desenvolvimento ágil, na criação de diagramas e em inúmeras atividades relacionadas.

Vale destacar que essas ferramentas podem ser aplicadas para otimizar a criação de diferentes produtos e serviços, não apenas softwares!

2. Praticidade para fazer alterações

A transformação digital vem nos mostrando que as empresas devem assumir cada vez mais sua identidade. Isso significa adaptar seus recursos para que eles trabalhem de acordo com sua dinâmica interna. Nesse sentido, as ferramentas open source são ideais para qualquer equipe de TI.

Ao utilizarem um código aberto, elas permitem que os programadores façam alterações de forma prática, adaptando-as às suas necessidades. Se uma ferramenta de desenvolvimento ágil gera planilhas ou relatórios diários, por exemplo, é possível modificar o programa para que ele salve automaticamente esses arquivos no servidor.

3. Auxílio na definição da estratégia de TI

A forma como os recursos de TI são utilizados impacta diretamente na saúde financeira da empresa. Por isso, é preciso definir uma estratégia de TI que esteja alinhada ao planejamento dos negócios como um todo. Aqui, as ferramentas open source representam um forte aliado para garantir longevidade às empresas.

A possibilidade de investir em softwares modeláveis faz com que os diretores e gestores possam agir mais livremente no planejamento estratégico. Com ferramentas disponíveis para formar um escopo de trabalho, buscar novos caminhos se torna mais fácil (já que basta adaptá-las aos novos planos).

Em 2015, a Wipro divulgou relatório de uma pesquisa feita com a participação de 100 executivos do setor de tecnologia. De acordo com os resultados, 80% das empresas fazem uso de ferramentas open source e acreditam que elas desempenham papel central na definição das ações estratégicas de TI.

4. Redução de custos

Qualquer mudança, ainda que seja inovadora, depende de uma avaliação de seu retorno sobre o investimento. Afinal, é preciso que o planejamento financeiro da empresa possa cobrir os gastos e garantir um ROI satisfatório. E nada torna um investimento tão atraente quanto a redução de custos causada pelas ferramentas open source.

Os gastos com licença representam um grande vilão para empresas que buscam gerar valor por meio do setor de TI. Assim, as soluções de código aberto se tornam fundamentais, já que a ausência desse custo eleva a margem de lucro ao máximo.

A própria gestão passa a ser feita com base apenas nos gastos com equipamentos e recursos humanos. A parte do orçamento de TI que seria destinada a licenças pode ser redirecionada para a inovação nos produtos e serviços — algo que também passa pelo uso dessas ferramentas open source para TI.

5. Agilização do trabalho colaborativo

O trabalho colaborativo desempenha papel de grande importância no setor de TI. Sendo para o desenvolvimento de softwares, a manutenção da infraestrutura da empresa ou mesmo a otimização de um software, ele sempre é necessário.

Ao perceberem isso, muitos profissionais de TI passaram a olhar com ainda mais interesse para soluções open source. Até mesmo no uso doméstico ela facilita o trabalho colaborativo — cada ferramenta tem seus incontáveis fóruns on-line nos quais programadores compartilham códigos e ideias inovadoras.

Essa possibilidade de editar e compartilhar cada nova linha de programação torna o trabalho das equipes de TI muito mais dinâmico. A agilidade na modificação de programas é maior, assim como a entrega de novos produtos.

Muitas vezes, a solução pode ser encontrada nas próprias comunidades virtuais de desenvolvedores. Basta que os programadores façam análise cuidadosa do código proposto para entender a lógica e aplicar ao seu projeto.

No caso de outras ferramentas, isso se torna muito complicado. Na melhor das hipóteses, a provedora do software oferece um plugin adicional para aquela função — e isso será pago, é claro.

Em muitos casos, é necessário adquirir outro software com licenças novas para cada usuário. Nesse sentido, há verdadeiro abismo entre a praticidade dessas ferramentas e a das open source.

6. Otimização do trabalho com cloud e Big Data

Grandes empresas como a Google e o Facebook têm os maiores bancos de dados mundiais com informações dos seus usuários. Um ponto importante da estratégia de utilização desses dados está nas ferramentas open source que as gigantes digitais adotam.

A computação em nuvem (ou cloud computing) de ambas reúne grandes volumes de dados captados com Big Data e outras soluções tecnológicas. Eles são analisados por softwares específicos para diversos fins, de acordo com a necessidade de seus clientes.

Isso faz com que o open source tenha papel central nos serviços da Google e do Facebook. Afinal, uma empresa que armazena um conjunto de dados na nuvem e deseja analisá-los vai precisar de uma ferramenta específica para coletar exatamente os dados de que necessita.

Mais uma vez, é a maleabilidade das ferramentas open source desempenhando papel fundamental. E a mesma lógica é aplicável a qualquer negócio. Se uma empresa pretende trabalhar com cloud computing ou Big Data, as ferramentas open source certamente podem se adaptar mais facilmente a diversos cenários.

A entrega de trabalhos na nuvem se torna mais eficiente com elas — os desenvolvedores podem trabalhar e cooperar remotamente, além de contarem com uma solução que pode ser adaptada para cada projeto.

Alguns softwares open source, por exemplo, fazem análise dos dados de clientes sem invadir a privacidade dos usuários. Isso significa garantir mais segurança sem violar direitos.

A Cisco, por exemplo, criou um framework especificamente para ajudar empresas a aproveitarem o Big Data com segurança. A ferramenta detecta ameaças e analisa dados para evitar vazamentos. De quebra, o sistema é totalmente escalável, podendo ser otimizado por seus usuários.

Como você pôde ver, são muitas as vantagens da utilização de ferramentas open source para TI. Faça já uma avaliação em sua empresa e veja como elas podem ser parceiro importante que gera valor no negócio.

Para saber mais sobre esse e outros temas, siga nosso canal no YouTube e nossos perfis no Facebook, LinkedIn, Instagram e Twitter!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *