Afinal, o que é o hacking ético?

Como saber, por exemplo, se a sua empresa está vulnerável a um ataque de ransomware? Ou se os dados confidenciais e estratégicos estão seguros o suficiente para que empresas concorrentes não tenham acesso a elas? Para descobrir essa e outras questões de segurança, muitas empresas estão recorrendo ao hacking ético, uma forma eficaz e segura de descobrir vulnerabilidades.

Foi pensando nisso, que este post falará sobre essa profissão que está ajudando muitas empresas. Quer saber mais sobre o hacking ético? Então boa leitura para você!

O que é hacking ético?
O hacking ético é feito pelo “hacker do bem”. Este é um profissional de TI com alta especialização em invasão de sistemas e detecção de vulnerabilidades, que se passa por um invasor e faz ataques programados para tentar achar brechas de invasão de um sistema.

Pode ser um profissional que trabalha para uma empresa em específico ou um consultor que atende várias empresas sob demanda. Seu objetivo é achar falhas de segurança do sistema e indicar para as empresas quais são as melhores formas de se prevenir para que os ataques nunca aconteçam.

Seu objetivo é evitar que empresas gastem muito dinheiro em sistemas de segurança ineficientes e que ocorram vazamentos de dados. Esse é um profissional que está sendo bastante procurado por organizações que precisam se defender de ataques.

Quais as fases do hacking ético?
A contratação desses profissionais, como de qualquer outro, depende da confiança mútua entre ambas as partes. No entanto, é preciso certa cautela, pois os maus profissionais podem ser bastantes prejudiciais para uma empresa. Existe então um modelo de negócios dividido em várias fases para a contratação de hacker ético.

Estabelecer um acordo
É preciso estabelecer previamente o acordo entre ambas as partes. Quais são os objetivos do hacking ético? Até onde é permitido avançar? O profissional precisa ter uma permissão formal e escrita que o autorize a fazer o seu serviço de forma que não tenham implicações legais no futuro.

Investigar os sistemas
Estabelecido o acordo entre as partes, o hacking ético é então executado. Os sistemas são investigados para ver se existem falhas de segurança. Nessa fase são utilizadas todos os tipos de ferramentas com intuito de roubar dados confidenciais da empresa sendo testada.

Elaborar um plano de ataque
Identificado os possíveis pontos de vulnerabilidades, um plano de ataque é elaborado. Esse plano simula todas as possibilidades que um hacker usaria caso estivesse efetuando um ataque à empresa contratada.

Descobrir as vulnerabilidades
Por fim, o hacker ético informa ao contratante as vulnerabilidades encontradas. Ele precisa comprovar as suas justificativas por meio de explicações, relatórios e dados sobre os ataques realizados ao sistema. Então são mostradas alternativas para melhorar a segurança de forma a evitar cenários reais dos ataques realizados.

Qual a relação entre hacking ético e tecnologia da informação?
Todo hacker ético precisa ter muito conhecimento em tecnologia da informação. Os principais são:

redes de computadores;

programação;

sistemas operacionais;

segurança da informação.

O conhecimento de redes é imprescindível, pois é por ali que virão a maioria dos ataques. É preciso saber fazer análise de rede, verificar inventário, portas do sistema, firewalls etc. A análise de rede compreende todos os dispositivos que estão conectados no servidor da empresa, seu site e quaisquer meios de comunicação interna e externa, como e-mails e mensagens.

O conhecimento em programação é necessário para fazer debugs e análise em aplicações suspeitas. É preciso também desenvolver aplicações para simular ataques, como análise de senhas, programas que simulam vírus, detectar e corrigir bugs em sites.

O conhecimento em sistemas operacionais é importante para detectar falhas de segurança, que são muito usados por hackers. Por exemplo, o WannaCry usou falhas do Windows XP para infectar as máquinas. Assuntos como gerenciamento de memória e revisão de logs do sistema para identificar comportamentos estranhos são alguns exemplos de tarefas executadas pelo hacker ético.

Por fim, o conhecimento de segurança da informação é importante para identificar falhas na política de segurança da empresa. Assuntos como engenharia social, política de privacidade e análise de processos internos da empresa são analisados pelo hacker ético para tentar identificar vulnerabilidades como um todo.

Por que o hacking ético é importante para a segurança de uma empresa?
O hacking ético é uma demonstração real de como seria um ataque a uma empresa por um hacker qualificado. E nada melhor do que a prática para testar se sistemas são seguros ou não. Além disso, há outros aspectos importantes a serem considerados sobre o hacking ético. Acompanhe!

Corrigir vulnerabilidades dos sistemas
Ele ajuda a corrigir vulnerabilidades dos sistemas ao qual são feitos os testes. Isso faz com que seja traçado um plano muito eficaz de segurança em uma empresa. É muito mais eficiente, por exemplo, do que contratar vários antivírus e firewalls sem saber em que realmente está o problema.

O hacking ético é capaz de prevenir gastos desnecessários com segurança e corrigir as vulnerabilidades com medidas muito específicas.

Prevenir ataques
Sem sombra de dúvida, prevenir ataques é o benefício mais importante do hacking ético. Com as medidas de segurança sendo adotadas após a consultoria, certamente muitos problemas serão evitados.

O prejuízo de ter dados estratégicos roubados não pode ser mensurado. Prevenir instabilidades dos sistemas causados por ataques certamente impactará muito na percepção dos usuários. Um sistema estável, que esteja disponível ao cliente sempre que ele precisar, passa confiança e melhora o relacionamento.

Conscientizar os colaboradores sobre questões de segurança
Por meio de simulações de ataques, é possível conscientizar os colaboradores de uma empresa sobre as questões de segurança que eles enfrentam. As demonstrações práticas deixam mais claro para as pessoas, às vezes pouco informadas, qual é a importância em contribuir com a segurança da empresa.

O uso de mídias removíveis, acesso em sites estranhos durante o horário do expediente, abrir e-mails suspeitos e instalar qualquer programa em computadores da empresa podem causar estragos muito grandes em uma corporação. O hacking ético funciona também como uma aula prática de segurança para os colaboradores.

O hacking ético está se mostrando uma alternativa eficaz para tratar assuntos de segurança de uma empresa. Por meio de um profissional com alta experiência em descobrir vulnerabilidades técnicas é que se obtêm as respostas sobre como e onde investir em segurança de TI.

Gostou de nosso conteúdo sobre hacking ético? Então não deixe de nos seguir no Facebook, LinkedIn, Instagram, Twitter e YouTube para não perder mais nenhuma novidade nossa. Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *