4 principais tipos de treinamentos de TI para qualificar sua equipe

Treinamentos de TI são indispensáveis para empresas e profissionais do setor e precisam ser contínuos. Isso vale tanto para empresas com core business distintos, como para aquelas que trabalham com serviços terceirizados como help desk, segurança de dados e gestão de inventário, por exemplo.

Além dos avanços tecnológicos contínuos e atualização de linguagens e sistemas, profissionais da desta área precisam gerenciar a experiência dos usuários comuns. Devem fazer a tradução e interface de suas ferramentas e processos para que não haja incompatibilidade ou resistência à inovação nas organizações.

Ou seja, além de acompanhar a evolução natural das ferramentas, também é preciso desenvolver a habilidade de transformar seus elementos técnicos em soluções simples para os usuários finais. Para que seja possível a boa transição entre as suas responsabilidades, aliando-as às metodologias e política da empresa, é necessário prover treinamentos de TI. Dessa forma, é possível alinhar as expectativas da empresa com o setor, além de prepará-los para as demandas que vierem a surgir. Pensando nisso, vamos ajudá-lo com 4 dicas de formato de treinamentos de TI que desempenham bem esse papel. Descubra quais são eles!

Os 4 principais tipos de treinamentos

1. Information Technology Infrastructure Library (ITIL)

O ITIL é um treinamento complexo que oferece um conjunto de práticas e processos para a gestão de infraestrutura e de serviços de TI com foco operacional e estratégico. A biblioteca do curso foca na promoção do atendimento de suas necessidades com qualidade e clareza dos serviços prestados.

Seu volume de conteúdo é tão extenso que seu aprendizado é de longo prazo, mas uma vez concluído e dominado, pode trazer mais eficiência operacional, reduzindo os custos do negócio, e também melhorando experiência para os usuários finais.

Seu conteúdo é separado em 5 principais volumes, sendo respectivamente:

  • estratégia de serviço, estudando as necessidades e objetivos do negócio;
  • desenho de serviços, considerando o mapeamento de necessidades;
  • transição, tendo como base todas as necessidades de treinamentos, implementações;
  • operacionalização dos serviços; e
  • acompanhamento e melhoria contínua dos serviços.

2. Lean IT

É uma filosofia Toyota que foi desenvolvida para que o departamento de TI da organização atuasse com foco na entrega de valor aos seus clientes internos e, consequentemente, externos.

Seus princípios visam a otimização de processos e eliminação de etapas que não contribuem para o sucesso do serviço, tornando sua execução mais objetiva e eficiente.

Entre seus objetivos, está a importância de aproximar as pessoas de TI com usuários e os gestores do negócio. Isso proporciona melhor entendimento do papel estratégico desse setor para a evolução da empresa e, então, promove a mudança de processos executados por usuários e clientes que não favorecem a experiência e resultado. Essa é uma importante troca de perspectiva dos profissionais de TI para que enxerguem os processos sob a ótica dos usuários.

3. Control Objectives for Information and Related Technologies (COBIT 5)

O COBIT 5 tem um foco nas contribuições estratégicas do setor de Tecnologia da Informação por meio da governança de TI.  Enquanto diretores e gestores do negócio estabelecem planejamentos e objetivos, ela é a responsável por determinar quais caminhos da transformação digital percorrer para que eles sejam realizados.

Nesse processo, a arquitetura do COBIT usa seus quatro domínios fundamentais para tornar a estrutura mais eficiente:

  • planejar e organizar;
  • adquirir e implementar;
  • entregar e dar suporte
  • e monitorar e avaliar.

Dentre tais fundamentos, possui 34 processos e 210 pontos de controle que parametrizam seu desempenho.

Assim, os profissionais que se certificam com esse treinamento irão atuar mais voltados para os gestores do negócio do que para os usuários da organização. Colocarão em prática os modelos de governança COBIT 5.

Suas premissas são, respectivamente:

  • dar apoio e satisfazer as necessidades dos stakeholders e gestores;
  • potencializar seus conhecimentos sobre o negócio e a empresa;
  • implementar um framework único, integrado e funcional;
  • promover uma visão holística e estratégica sobre o negócio; e
  • permitir que a governança e gestão de TI sejam tratadas individualmente.

4. Project Management Professional (PMP)

Com o foco no gerenciamento de projetos, esse treinamento e certificação é muito exigente para aprovação de seus participantes. É preciso ser graduado, ter 3 anos de experiência em gestão de projetos confirmada, e ainda 4500 horas em liderança e 35 horas de treinamentos similares dependendo de qual titulação é almejada.

Com o certificado, o profissional é habilitado para gerenciar projetos com um modelo eficiente que organiza todos os ciclos em: início, planejamento, monitoramento, controle e conclusão. Cada uma dessas etapas extremamente organizada e parametrizada para ser ajustada e conduzida dentro do prazo e nível de qualidade estabelecidos.

Sem dúvidas, é um dos treinamentos de TI mais conhecidos e realizados dada sua aplicabilidade no setor e em áreas relacionadas. Por isso, muitas vezes os próprios colaboradores fazem investimentos para obtenção da certificação.

Os efeitos dos treinamentos de TI

Se os treinamentos devem expandir o potencial técnico da equipe e ao mesmo tempo dar insights para que esse aprendizado seja colocado em prática de forma simples e perceptível nos serviços de TI, em qual deles investir?

Obviamente a escolha deve ser tomada considerando os serviços que o TI oferece e gerencia, bem como suas funções estratégicas de gestão. Uma empresa de help desk, por exemplo, normalmente atua com os princípios do gerenciamento de projetos. Nesse cenário, treinamento e certificação PMP podem agregar mais conhecimento e valor.

Porém, alguns deles demandam grandes investimentos, e por vezes, é preciso fazer um acordo de garantia com o profissional que receberá o treinamento para que ele permaneça contribuindo para a empresa até que o valor aplicado seja compensado.

Do ponto de vista motivacional, treinamentos como esses são considerados benefícios da empresa para seus profissionais. Por isso, devem ser oferecidos para aqueles que demonstram além de maior potencial técnico e engajamento com os objetivos do negócio.

Além dos treinamentos de TI, cursos de gestão de relacionamento e atendimento ao cliente, por mais básicos que sejam, também podem contribuir para melhorar os serviços do setor. No caso deles, a própria empresa pode desenvolver o conteúdo e conduzir as aulas, garantindo que um padrão de qualidade seja construído e que a dinâmica do próprio negócio personalize o aprendizado.

Sua empresa desenvolve treinamentos para a equipe ou prefere investir em consultorias de ensino? Deixe seu comentário sobre qual dessas estratégias e mais efetiva na sua opinião

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *